Ação faz parte da campanha “Elo contra a dengue”
Equipe de engajamento público da Forrest Brasil visita o Colégio Elo

Conhecer o Aedes aegypti, a importância de eliminar criadouros e as doenças que ele causa é fundamental na luta contra o mosquito. O Colégio Elo recebeu nos dias 27 e 28 de fevereiro, a equipe de engajamento público da empresa Forrest Brasil Tecnologia Ltda, responsável pelo projeto “Controle Natural de Vetores”, que realiza a soltura de mosquitos machos estéreis em Jacarezinho. Alunos e professores puderam conhecer de perto o ciclo de vida do mosquito transmissor da dengue.

A ação foi desenvolvida junto a alunos da Educação Infantil até o Ensino Médio. O coordenador de engajamento público da Forrest Brasil, Jorge Pedrosa explica que para cada faixa etária foi preparada uma atividade específica.

“Nós falamos sobre o projeto, a empresa, o ciclo de vida do mosquito, a importância de eliminar os criadouros, e também, os resultados do projeto aqui na cidade. Para cada faixa etária utilizamos uma linguagem adequada. Trouxemos uma estação onde os estudantes puderam visualizar todo o ciclo de vida do mosquito: ovos, larvas, pulpas e os mosquitos adultos. Além disso, com as gaiolas eles puderam constatar que realmente o mosquito macho não pica”, destaca Jorge.

Para o coordenador, esse é um trabalho que precisa ser contínuo, pois, as crianças são os melhores difusores de informação. “É muito importante que desde cedo nós estejamos junto para que elas tenham essa conscientização, porque muitos adultos não estão fazendo a parte deles neste momento. Acreditamos que plantando essa semente na criança vamos ter um adulto mais consciente”, afirma.

Segundo Jorge, hoje há uma crescente na conscientização com relação às questões ambientais, principalmente, entre adolescentes e jovens. “Eles são abertos a novidades e entendem a importância de fazer parte desse todo, de um movimento mais ecológico, numa pegada de proteção ao planeta, e a saúde faz parte disso”, complementa.

Além de Jorge, estiveram no Elo realizando o trabalho os auxiliares de engajamento público André Felipe Correa Portezan, Camila Buzzeti e Douglas Gabriel Cândido.

TRABALHO DA FORREST EM JACAREZINHO

O trabalho da empresa no município começou em 2017, quando foi desenvolvido um projeto piloto no bairro Aeroporto. O primeiro passo foi a coleta de amostras de ovos na cidade, e depois, em 2018, teve início a liberação dos mosquitos machos estéreis no Aeroporto. Foram oito meses, de agosto de 2018 a abril de 2019.

“A partir da análise dos resultados constatamos que conseguimos reduzir em até 90% a população de mosquitos naquele local. Nós tínhamos um bairro controle, que era a região da Vila São Pedro, e assim, fazíamos as comparações. Para exemplificar a taxa de eclosão no Aeroporto: se pegávamos 100 ovos numa paleta, somente 10 eclodiam, os outros 90 eram o que chamamos de ovos vazios. E, a partir disso, é possível ver a taxa de sucesso do projeto”, conta o coordenador de engajamento da Forrest.